* Com colaboração de Rodrigo Cordeiro

Uma filosofia de gestão, voltada para a otimização de processos, redução de desperdícios e que é centrada principalmente em pessoas. Isto é o Lean, termo difundido nos anos 1990, mas que nasceu bem antes disso.

O Lean surgiu inspirado em práticas e resultados do Sistema Toyota. Após a Segunda Guerra Mundial, a fábrica de automóveis Toyota, no Japão, buscou reinventar o modelo de produção vigente na empresa.

Na época, Kiichiro Toyoda e Taiichi Ohno, principais nomes da empresa, revisitaram o modelo de produção de Henry Ford. Eles fizeram uma série de adaptações, incluíram conceitos de filosofia e religiões japonesas, e criaram o historicamente bem-sucedido Sistema Toyota de produção.

Com o passar dos anos, esse método de produção deixou de ser utilizado exclusivamente na fábrica japonesa e foi difundido em empresas dos mais diversos setores e países. E assim surgiu o termo que desvincula uma filosofia (quase metodologia) de apenas uma companhia.

Origem do termo “Lean”

A palavra Lean significa enxuto. Ela  foi usada pela primeira vez por John Krafcik (1988), no artigo “Triumph of the Lean Production System”, em português,“Triunfo do Sistema de Produção Enxuto”.

Posteriormente, em 1990, o termo ganharia popularidade com o best-seller “A Máquina que mudou o mundo”, de James P. Womack, Daniel T. Jones e Daniel Roos. Já em 1996, Womack e Jones escreveram o livro “A mentalidade enxuta nas empresas – Lean thinking”, consolidando de vez o termo, que desde então é amplamente utilizado no ramo industrial.

Por que “enxuto”?

O termo escolhido vem da ideia de empresas utilizarem o mínimo de recursos durante os processos de produção, eliminando, ou pelo menos reduzindo, atividades que não agregam valor — pelo contrário, desperdiçam tempo, mão de obra e dinheiro.

Ao diminuir as atividades que não agregam, de fato, benefícios para a otimização dos processos, a organização obtém maior eficácia na qualidade, custos e entrega dos produtos produzidos ou serviços ofertados.

O cinco princípios da filosofia “Lean”

Os principais benefícios da filosofia Lean

1- Eliminação/Redução de processamentos desnecessários

A ideia da filosofia Lean, aplicada para qualquer empresa, consiste principalmente na eliminação de oito desperdícios: processamento, estoque, produção, transporte, movimentos desnecessários, espera, peças com defeitos ou retrabalho e subutilização do capital humano.

2- Fortalecimento da equipe

Faz parte da filosofia a valorização do colaborador, de modo que é essencial demonstrar aos funcionários a importância individual de cada um e como a contribuição do mesmo é crucial para a empresa.

3- Ampliação do conhecimento

Compartilhar conhecimento entre todos os colaboradores, de modo que evite a existência de silos entre áreas ou até mesmo de desconhecimento de determinados funcionários sobre processos que englobam toda a companhia.

4- Construção de qualidade

Qualidade é o resultado final da eliminação de desperdícios, redução de tempo em cada etapa do processo e foco em utilizar valor agregado nas atividades que visam a satisfação do cliente.

5- Rapidez nas entregas

Um dos principais benefícios ao aplicar a filosofia Lean é a possibilidade de reduzir o Lead Time, ou seja, o tempo entre o pedido feito pelo cliente e a entrega do mesmo.

6- Otimização de todas etapas do negócio

Se a filosofia for bem aplicada por todos na empresa, com empenho para melhorar cada aspecto proposto pela filosofia Lean, a ideia é que todo o negócio seja otimizado e, consequentemente, tenha um melhor desempenho.

Historicamente difundida no âmbito industrial, o Lean vem em um movimento crescente de impacto positivo também em outros segmentos e pode ser a chave para empresas de qualquer setor darem um salto de qualidade em seus processos de produção ou serviços ofertados.